quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Oh! Proclamai:Há salvação!/ We'll shout aloud throughout the land





Quando ingressei no Exército de Salvação em Pelotas-RS, no de ano de 1962,

uma das primeiras coisas que adquiri foi o Cancioneiro (hinário) para cantar os


cânticos, uma vez que a Bíblia eu já possuia. Uma satisfação foi 


constatar que  muitos hinos eram os mesmos que eu cantara desde 


criança na Igreja Episcopal Anglicana, portanto conhecidos. Eram os mesmos 


que vinham do "Salmos e Hinos", o primeiro hinário brasileiro. Um bom 


número deles, no entanto, eram cânticos do repertório salvacionista, portanto 


desconhecidos para mim.



Um deles era o "Oh! Proclamai: Há salvação!" que invariavelmente era o que 


cantávamos para iniciar reuniões ao ar livre.






 
O hino em questão fora introduzido no cancioneiro de 1948, muitos anos

antes. Ninguém pode contar quantas vezes foi entoado ao iniciar reuniões ao


ar livre em cidades do Brasil e, inclusive, de Portugal, uma vez que o 


cancioneiro brasileiro era o usado pelos irmãos portugueses. A foto do


cancioneiro acima me foi enviada esta semana pelo então Tenente Stuart 


Northey, um oficial inglês que foi meu assistente no Corpo de Picheleira, em


Lisboa, tendo recebido de presente de William Hazzel, sogro do Coronel 


Ernest Hofer, que também dirigiu o Comando português.






Interessante que o hino, cujo título traduzido do inglês é "Nós gritaremos vibrantemente através da terra", no pensamento do autor provavelmente tratava-se da Grã-Bretanha... no entanto, o hino foi traduzido para dezenas de idiomas, à medida que o ES desfraldava sua bandeira em cada vez mais países. 

Os cancioneiros que possuo, além do em idioma português,  registra "We'll shout aloud throughout the land", no original inglês; "Vår själ är fylld av heligt lovad för vad oss -Herren", em sueco, e "On sielu täynnä riemua ja Herran kiitos", em finlandês. Muitas letras são versões, mas todas têm em comum o "Vamos, pois, a bandeira erguer..." (So we'll lift up the banner on high...).


HISTÓRIA

A música vibrante do hino, refere-se o cancioneiro sueco como sendo de origem desconhecida.

As estrofes são de James C. Bateman (1855-1888), que foi convertido em uma reunião ao ar livre. Quando o fundador, William Booth, apresentou a bandeira salvacionista no Corpo de Icehouse, na Inglaterra, James era um soldado. Tão impressionado Booth ficou com o rapaz que seis semanas depois fez dele um oficial. Foi então que James escreveu e cantou "Nós gritaremos vibrantemente através de toda a terra!"

O coro do cântico é de William Thomas Giffe, nascido em 1848.

Fonte: 

- "Companion to the Song Book", compilado por Gordon Avery.
- "Song Book of The Salvation Army, USA".



Minha própria história por trás deste cântico:

Com ela homenageio o recém-"promovido à glória", Primeiro Sargento Erohides Montiel, do Corpo de Pelotas-RS:

O sargento atuava também como o "sargento da bandeira" naqueles anos de 1962-63. O cântico em questão me remete às inumeráveis vezes em que o vi empunhando a bandeira nas reuniões ao ar livre que tanto eram realizadas na praça central da cidade como em esquinas ao redor do Corpo, na rua D.Pedro II. Fizesse calor ou frio - com o famoso vento Minuano - lá estava fielmente o Sargento Montiel no seu posto. Quando a reunião ao ar livre era na praça central, via muitas vezes passarem amigos meus ou colegas soldados (pois ingressei no ES no mesmo ano em que prestei o serviço militar). Ao olhar para o fiel Sargento e para outros salvacionistas, inclusive para o saudoso Capitão Sidney de Barros Campos, meu primeiro e único oficial dirigente, toda a vergonha ou embaraço diante de amigos era dissipada, como que Deus falando-me: "Olha para estes meus servos valiosos e sê um também".

Minha amiga até hoje, Maria Dilva Montiel, filha do Sgto. E. Montiel, escreveu a pedido do autor da obra, Comissário Carl Eliasen, um depoimento a respeito de seu pai, incluído no livro "A Imagem do Cruzeiro Resplandece", uma obra que não pode faltar na estante de nenhum salvacionista brasileiro (abaixo, como adquiri-lo).

Fotos acima:

- Em uma reunião ao ar livre diante do Altar da Pátria, na Praça Julio de Castilhos em Pelotas.
- O Sargento e sua família foram despedir-se de mim quando viajei para cursar o Colégio de Cadetes (seminário) em São Paulo, em março de 1964.
- Foto que tirei da família Montiel durante umas férias.

Leiamos a história do valente soldado, hoje com o Senhor a Quem serviu fielmente grande parte de sua vida:




L i n k:

A postagem do meu blog quando por ocasião da passagem dos 100 anos do "Churrasqueiro, Sapateiro, do Senhor Guerreiro", em 2011 (é só clicar no link abaixo):

http://paulofranke.blogspot.fi/2011/05/churrasqueiro-sapateiro-guerreiro-de.html

Como adquirir "A Imagem do Cruzeiro Resplandece":

Pedidos à


intendencia@salvos.org.br

Fone: (11) 5591 7079

Divulgue esta postagem a outros salvacionistas!

4 comentários:

  1. Você é realmente uma pessoa especial, usada por Deus! Como me fez recordar dos tempos do ar livre!. Que possamos continuar erguendo a bandeira de amor e perdão e pelejar até o fim!!
    Sonia Pereira
    Belo Horizonte

    ResponderExcluir
  2. "Tempos bons aqueles do ano de 1962 em que ingressamos no Corpo (Igreja) do Exército de Salvação sob a direção em Pelotas do Capitão Sidney de Barros Campos, grande servo de Deus já falecido.
    Tivemos o prazer de conhecer o Sargento Montiel e seus familiares, modelo de cristãos, dificeis de encontrar-se.
    Que Deus abençôe e conforte os filhos do Sargento que partiu por estes dias.
    Pelas promessas do Senhor Jesus, um dia nos encontraremos na Nova Jerusalém que Jesus foi preparar para todos quantos o receberem como unico Salvador e Deus encarnado! "

    ResponderExcluir
  3. "Vamos pois a bandeira erguer ..."
    Nem precisava convidar a platéia para bater palmas cantando o coro do cântico!
    Faziam espontâneamente!
    Lembrei-me de minha mãe sentadinha no fundo do salão no Corpo do Bosque, perto da Sra Sargenta Laura Silva.
    Chego até ouvir de memoria sua voz bem animada cantando. Dois rostos bonitos e cheios de bondade!
    Saudades! Quando você nos pega ... que dor nos corações!
    Anália - Paris

    ResponderExcluir
  4. Paulo Franke eu gostaria muito de saber como adquirir as partiruas dos hinos do cancioneiro Brasileiro. Tenho um hinário so com letras. O irmão pode me ajudar a obter?
    e-mail: ary_cesarcosta@hotmail.com

    ResponderExcluir