terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Vou contar-vos o que penso do meu Mestre

No One Ever Cared for Me Like Jesus


Vou contar-vos o que penso do meu Mestre,

Como Dele recebi a luz e a paz.

El' mudou-me, eu bem sei, completamente,

Como Cristo nenhum outro satisfaz.



Sempre cuidará de mim meu Mestre.

Com desvelo e compaixão sem fim.

Nenhum outro tira a culpa do pecado.

Oh, como Ele ama a mim!.



Com a vida toda cheia de pecado,

na miséria e com dor no coração,

El tomou-me em Seus braços de ternura.

Deu-me vida, gozo, paz, consolação.


_________


O hino que nasceu de um casamento desfeito



O evangelista itinerante Charles Weigle (1871-1966), ao voltar para casa de uma campanha, descobriu que sua esposa o havia abandonado. Ele encontrou um bilhete escrito por ela comunicando-lhe que ela havia levado a filhinha do casal consigo para uma cidade distante. E a razão era que queria viver uma vida mais glamorosa do que a que estava vivendo com ele.

O rev. Charles experimentou profundo desespero e chegou a pensar em suicídio.

Um dia, sentado ao piano, meditava no quanto o amor e o cuidado de Deus o tinham sustentado durante sua triste experiência. Seus dedos começaram a passar pelo teclado, e foi nascendo os acordes e a letra para o seu hino.

Um tempo depois, no leito de morte, a mulher que o abandonara pediu a filha que tentasse encontrar o pai para que orasse por ela. A mensagem, no entanto, não chegou a tempo.

As palavras que vieram de um coração partido pela dor, mas curado pela graça de Deus, passaram a servir de consolo a muitas pessoas na mesma situação do que a do autor.

Fonte: "Songs in the Night" (Coronel Henry Gariepy)

Nota: Quem sabe o leitor conhece alguma pessoa que passou pela mesma experiência do autor do hino. Use esta postagem para consolar e ajudar essa pessoa através das palavras maravilhosas deste hino.

______________________

No ano de 1966, em que o evangelista Charles Weigle, de descendência alemã, faleceu, comecei o meu ministério salvacionista em uma cidade fundada por alemães, Joinville, em Santa Catarina.


Por coincidência, foi naquela cidade que um dia ouvi pela primeira vez a salvacionista fiel, Lydia Kurzawe, cantar esplendidamente este hino.
Na foto acima, Dona Lydia está entre as sócias da Liga do Lar em língua alemã. Um dia perguntei a ela se queria iniciar o mesmo trabalho em língua portuguesa também. Sua pronta resposta foi "Sim, vamos iniciar!" E foi a primeira Secretária da Liga do Lar em português, trabalho que nunca mais cessou no Corpo de Joinville. Na foto abaixo, Dona Lydia está segurando sua Bíblia, ao lado do seu esposo, Herbert Kurzawe, um casamento sólido que somente foi desfeito com a partida para o Lar Celestial daquela serva do Senhor no ano passado.

_____________________


O hino cantado em português por um coral

http://www.youtube.com/watch?v=ivvDXRYyqKQ

________________

No original inglês, cantado por um jovem americano:

http://www.youtube.com/watch?v=xwe5KWxkHh4&feature=related


No one ever cared for me like Jesus;
There's no other friend so kind as He;
No one else could take the sin and darkness from me
O how much He cared for me!


I would love to tell you what I think of Jesus/ Since I found in Him a friend so strong and true;/I would tell you how He changed my life completely,/He did something that no other friend could do.


All my life was full of sin when Jesus found me;/ All my heart was full of misery and woe;/ Jesus placed His strong and loving arms around me,/ And He led me in the way I ought to go.

Ev'ry day He comes to me with new assurance,/ More and more I understand His words of love;/ But I'll never know just why He came to save me,/ Till some day I see His blessed face above.

_____________


6 comentários:

  1. "Sempre cuidará de mim o meu Mestre
    Com desvelo e compaixão sem fim"

    Muito difícil dizer em palavras esta verdade ... só vivenciando para entende-la!
    Eu vivo este momento!
    Obrigada por mais essa benção!

    ResponderExcluir
  2. Valeu, Franke!
    O Coronel Henry Gariepy, que é aqui é mencionado, o conheci fazem anos atras nos States!
    As palavras e canção sao muito comoventes mesmo.
    Abços.
    Ernesto HOFER

    ResponderExcluir
  3. Incrível a história deste hino, meu amigo. Gostei muito e daí lembro-me de varias meditações diárias de Lettie B. Colmann em seu devocional intitulado Mananciais no Deserto (Springs in the Valley, em inglês), nos quais ele dizia que as vezes passamos por muitas dificuldades em nossas vidas, que algumas são simplesmente frutos que colhemos de nossas decisões semeadas e que outras são provações de Deus, em todas elas há um propósito. Dizia que Deus quer nos transformar em porcelana fina e branca. Só que para que a porcelana fique perfeita ela precisa passar algumas vezes pelo fogo até chegar ao seu limite, para então sair, esfriar e retornar a fornalha. Sei lá, me lembrei disso. Gostei muito da história desse hino me lembrou de boas meditações. :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Conheco o "Mananciais do Deserto" e transcrevi minha meditacão de Natal da de 15.12, "Se Jesus não tivesse vindo", muito 10! Veja lá!

      www.paulofranke.blogspot.com

      Excluir
  4. Belíssimo esse hino! Conhecendo a história ficou ainda mais intenso e inspirador. Assistí algumas outras interpretações em inglês, mas fico com a do coral em português, gostei mais do andamento.

    Francisco

    ResponderExcluir
  5. Olá Paulo! Saudações! Gosto muito do seu blogger, as postagens são deveras inspiradoras!
    Esse coral que interpreta o gospel hymn "O que penso de meu Mestre" na verdade é um conjunto de jovens do UNASP, que gravaram o vocal de todos os hinos do hinário adventista do sétimo dia nos anos 90.
    Sou amante da musica sacra, principalmente da hinódia evangélica, que hoje infelizmente, tem sido desprezada e até mesmo discriminada. Sou adventista do sétimo dia desde berço, sendo pianista,organista e regente em minha igreja, também sou compositor e tradutor amador...rs Atualmente estou trabalhando na produção de um hinário opcional para minha igreja aqui no Brasil. O trabalho é de inciativa própria. Para esse novo hinário, além de trazer muitos hinos novos, alguns inéditos em português, ,estou buscando também melhorar as traduções, fazendo-as ficar, quando possível mais próximo a poesia original. Vc sabe como arte da tradução, ajustes é trabalhosa, inda mais quando se prima o máximo de comprometimento possível como a letra original,mas me aprazo muito nesta atividade. Gostaria se possível for de te enviar algumas traduções e adaptações minhas por e-mail, para sua avaliação.
    Um grande abraço com estima cristã.
    Um feliz natal!

    ResponderExcluir