sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Luz do Mundo, Jesus Cristo, vem dissipa as ilusões

245 - Luz do mundo, Jesus Cristo,/ Vem, dissipa as ilusões,/ Tira o véu dos nossos olhos,/ Ilumina os corações/ Para ver-Te, para ver-Te!/ Ouve nossas orações!

Onde as trevas do pecado/ Obscurecem Teu amor,/ Faze a luz do Teu ensino/ Dominar, ó Salvador!/ Resplandeça, resplandeça/ Tua glória, ó Redentor!

Luz dos homens! Luz da vida!/ Brilha com poder nos Teus,/ Esclarece as suas almas,/ Mostra-lhes o grande Deus./ Luz do mundo, Luz do mundo,/ És o resplendor dos céus!

________________________________

Letra: Sarah Poulton Kalley, uma missionária, que morreu em 1907, e que fez versões - não tanto traduções - de hinos da língua inglesa para uso no primeiro hinário brasileiro, o "Salmos e Hinos".

Música: Paulo Tavares Bastos Gama (ouça abaixo o youTube do hino).

________________________________

Continuação da história de Paulo Tavares Bastos Gama, iniciada na postagem anterior e relatada por seu filho, Daniel Tavares Bastos Gama, pastor da Igreja Batista do Povo em São José dos Campos-SP:

Meu pai trabalhou no Corpo de Pinheiros, em São Paulo e de lá foi enviado ao Corpo do Bosque. Atuou também como oficial de brigada no Colégio de Cadetes (seminário salvacionista).

Quando eu estava ativo como membro do Corpo do Bosque, muitos anos mais tarde, eu dirigia a brigada de cantores e tentava conseguir músicas brasileiras para o repertório do coral. Meu pai falou-me, então: "Meu filho, meu início no Exército foi parecido com o seu e de repente eu estava envolvido com todas as atividades que você pode imaginar. Então, comecei a compôr hinos, pela necessidade de evangelismo ao ar livre; pelas serenatas de convites ao povo para os cultos; pelas visitas aos hospitais; campanhas com os cadetes, visitas estrangeiras de chefes etc.... e pela falta de músicas contemporâneas mais atraentes aos ouvidos brasileiros."

Com o crescimento do repertório e convites para campanhas nas igrejas evangélicas, meu pai resolveu gravar discos e desbravou esta fatia como o primeiro cantor evangélico brasileiro a gravar um disco. Quando cursou o ICO (Colégio Internacional para Oficiais) em Londres, em 1956, conheceu as bandas salvacionistas e os famosos discos 78rpm da Regal. Trouxe muitos discos de Londres e os que não se quebraram na bagagem eram tocados no alto-falante do Corpo de Santos antes e no final dos cultos.


Meu pai, na foto com sua família (sou o caçula), gostava também de escrever letras para ocasiões especiais como Dia das Mães, Natal, cartas musicadas, porções bíblicas lidas em forma de poemas, incluindo homenagens a líderes e congressos. E, sem medo de errar, acho que ele escreveu mais do que compôs músicas. Adaptou,
no antigo modo salvacionista, muitas letras dele juntando músicas conhecidas, evangélicas ou seculares.



Não há dúvida para mim de que as Top 5 eu enumeraria como a seguir:

1. Vinde a Mim - 2. Luz do mundo - 3. Parábola das 10 virgens - 4. Mamãe, que nome belo! -
5. Os céus em festa.

Nota do dono do blog:

Acrescento outros dois hinos, de que muito gosto, de seu grande repertório: Andava eu perdido, mas Cristo me achou e Se as nuvens são negras, eu aguardo o raiar da aurora da luz celestial.

Conheci o simpático e consagrado Paulo Tavares Bastos Gama quando, em 1964, viajei do Rio Grande do Sul para cursar o Colégio de Cadetes em São Paulo. O talentoso servo do Senhor, no entanto, já era conhecido em algumas cidades do meu estado (e certamente em inumeráveis lares brasileiros onde sua voz entrara trazendo alegria, conforto, esperança e paz). Tanto que, em 1974, quando foi "promovido à glória" - como denominam os salvacionistas a morte - e estávamos trabalhando no Corpo de Rio Grande, uma irmã evangélica nos abordou na rua e contou-nos que ouvira no rádio que nosso caro irmão em Cristo havia falecido em São Paulo, antes mesmo de recebermos pelos correios a notícia pelo Quartel Nacional.

________________________________________

"Luz do mundo, Jesus Cristo":

http://www.youtube.com/watch?v=YgCSZHEUafg&feature=related

________________________________________

5 comentários:

  1. Agradeço profundamente aos dois: Daniel por rememorar a historia de nosso pai e ao Paulo por publica-lo no blog de hinos!
    Lugar apropriado para falar sobre o oficial PTBG, pois era seu melhor meio de pregar sua fé!
    Valeu,
    Analia, filha e admiradora do homenageado!

    ResponderExcluir
  2. Passei toda a minha infancia ouvindo minha mãe cantar essa música em casa, nos chamados "cultos domésticos", a beira do fogão a lenha enquanto cozinhava, ou naqueles momentos em que a vida parecia desferir os golpes mais duros contra nossa humilde e pobre família do interior...hoje houve lágrimas sendo reprimidas, companheiro. Aqui no meu trabalho não entenderiam jamais o que esta canção desenterrou dentro de meu peito...

    ResponderExcluir
  3. Todos os anos no dia das mães, as turminhas da prof.Lucy canta com gestos mamãe que nome belo .Mamãe que nome amado.Mamãe sublime nome em todos os lábios consagrados...

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Paulo. Acabo de ler o comentário em "Luz do Mundo". Aliás, no "Vinde a mim" em Youtube há um comentário muito interessante também. E este me fez lembrar um comentário feito pelo Cel. Eliasen, quando nos retirávamos após o enterro de minha mãe. Ele nos contou que querendo se desligar um pouco do trabalho diário, num feriado viajou com sua família e a de outro(s) oficial amigo. Seguros de estarem afastados de qualquer coisa que lhes lembrasse seu trabalho, de repente começaram a ouvir meu pai cantando "Luz do Mundo". A música vinha do alto-falante de uma igreja para convidar as pessoas a seu culto.

    TEMIS (filha)

    ResponderExcluir
  5. " Luz do mundo " é um dos hinos que mais traduzem a lembrança de minha avó paterna. Uma assembleiana que amava louvar. Ela teve um AVC que a deixou paralisada e sem voz. Mas ainda tinha percepção do que estava a sua volta. Minha irmã Conceição que tem o mesmo nome dela , cantava esse louvor e logo ela falavá a única palavra que sua boca conseguia falar, Jesus!!!!. Era emocionante a força que fazia e seus olhos brilhavam, deixando a sensação de que estava vendo muitos anjos. Essa história é sempre relembrada cada vez que ouvimos esse louvor. Muito obrigada Paulo.
    A paz do Senhor!

    ResponderExcluir